Matérias

A relação com o amar por Bianca Carrazzone

A relação com o amar por Bianca Carrazzone

Sim, nos encontramos por ressonância harmônica, conjunções estelares, frequência e vibração! E que vibração.

Nossa ressonância nos expande e nos faz experienciar a relação da forma mais genuína, entre dois seres em evolução na Escola Terra. Em nosso espelho há beleza, habita o amor, transborda a lucidez e assim não nos preocupamos com um “futuro juntos”; O futuro é tão desconhecido, e nós somos fluidos, já não é mais necessário fingir que sabemos. Nossos pensamentos e sentimentos estão sempre em mutação, incontroláveis, como um oceano selvagem de amor. Nossos desejos se expandem e se recolhem; os nossos sonhos nascem e morrem a cada instante. Não temos o compromisso com uma forma de amor, sabemos que as formas estão sempre a mudar, como as marés.

Não acreditamos nesta falsa segurança, porque não estamos à procura de conforto, e sim em estabelecer somente a Verdade.

Somos um compromisso mais profundo, que não pode ser quebrado ou perdido. Temos o compromisso da presença. Nosso encontro é no aqui e agora.

Nosso encontro nos traz o todo de nós mesmos. Para nos conhecermos e nos deixar conhecer.

E para dizer a verdade hoje, sabendo que a nossa verdade pode mudar amanhã , sem promessas, sem garantias… É preciso coragem para Amar! Sim!

O amor é um campo e não uma forma. Então podemos nos comprometer com o campo, e lembrar o lugar sagrado que habita este campo em nossos preciosos dias aqui na Escola Terra.

Daqui um tempo, talvez estejamos juntos, podemos ter filh@, podemos viver juntos ou viver separados, ou nada disso. Talvez nunca mais nos vejamos. Tanta coisa pode acontecer e não sabemos de nada. O não saber é o nosso lar.

Podemos ter infinitas definições no mundo: amigos, amantes,  estranhos, família, indefinidos, qquer coisa além da narrativa. Mas na morada do nosso instante o amor não pode ser definido em palavras.

Aqui na borda do conhecido, na linha que divide a sanidade da loucura, e a dúvida da certeza, mergulhamos, nos jogamos, dançamos nossas vidas… Encontro!

Sacrificamos conforto e previsibilidade para recebermos o extraordinário: Esse orgasmo triplico que é o sentimento de estar VIVO. Não mais entorpecido das projeções do “amor”, mas desvendando o verdadeiro mistério do amor através dos nossos corpos.

Chega um momento, em que somente a Verdade faz sentido. Aquela Verdade viva, que se renova a cada momento, a Verdade selvagem do coração aberto.

E quando o Amor e a Verdade são Um, quando o compromisso está profundamente enraizado na respiração, olhamos um ao outro sem qquer projeção ou ressentimento, e neste lugar habitamos o nosso instante com amor, leveza e alegria.

E aí podemos andar sozinhos, juntos, sozinhos… Somos!

 

Créditos: Bianca Carrazzone

Comentários do Facebook

comentários

Rádio Viva Zen

13.nov.2018

No Comments

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Taruga Tecnologia