Matérias

Psicologia da conexão, a bela arte de se conectar com as pessoas pelo coração:

Psicologia da conexão, a bela arte de se conectar com as pessoas pelo coração:

De acordo com psicologia da conexão, conhecer e se conectar a alguém são coisas diferentes.
Quando nos conectamos com uma pessoa, sentimos uma sintonia tão profunda que quase soa estranho, como se nos conhecêssemos desde sempre. Geralmente, dessas conexões surgem as mais fortes amizades e histórias de amor.

A psicologia da conexão surgiu especificamente na área de marketing. A motivação foi o interesse de grandes empresários e pesquisadores em entender quais os tipos de processos que fazem os consumidores se sentirem mais atraídos ou conectados a um certo produto.

Nossas decisões de compra, muitas vezes, são guiadas por processos inconscientes complexos, fato que intriga os especialistas em neuromarketing.

Um estudo científico de uma década colheu um número grande de informações e materiais que permitiram a pesquisadores e psicólogos se afastarem do marketing e se dedicarem a um ramo específico.

Nesse ramo são estudados processos que conectam as neurociências, o estudo da mente e as emoções.
Uma das pioneiras e mais reconhecidas profissionais no estudo e prática da “Conexão profunda”, Judith E. Glaser, psicóloga e antropóloga organizacional da Universidade de Harvard, deixa claro em suas obras que todos nós somos programados como uma espécie de voz interior, que num prazo de tempo muito curto nos informa se vale a pena conhecer alguém, baseada em sua relevância para nós.

Uma das principais necessidades que governa nossos cérebros é a necessidade de socialização.

Quando conhecemos novas pessoas e estabelecemos conexões com elas, nosso cérebro recebe um impulso. Esse impulso é sentido, primeiramente, no cortex pré-frontal.

Mas existe também outra parte de nossos cérebros que se animam quando encontramos alguém com quem nos conectamos intensamente. Este lugar fica entre o lobo temporal e o lóbulo parietal. De acordo com neurocientistas, é nesse lugar que se desenvolvem os nossos julgamentos e onde os processos cognitivos mais complexos acontecem.

De acordo com especialistas, a conexão profunda vai além dos olhares. Ela começa a agir na interação e tratamento, mas é através do compartilhamento que ocorre com mais intensidade.
Isso porque quando nós compartilhamos intimidades, experiências, valores e paixões com um outro alguém, a oxitocina é liberada.

A oxitocina é um neurotransmissor imprescindível para a criação de relações significativas em todas as áreas de nossas vidas. Quando nos sentimos seguros e confiantes por conta de um relacionamento saudável, sentimo-nos felizes.

Não é simples construir relacionamentos fortes como esses, mas é possível, se aplicarmos três ações em nossas interações diárias.

Abertura, confiança e sinceridade são os aliados para a conexão verdadeira em relações.

Fonte: https://osegredo.com.br/2017/09/psicologia-da-conexao-bela-arte-de-se-conectar-com-as-pessoas-pelo-coracao/

Comentários do Facebook

comentários

Rádio Viva Zen

8.nov.2017

No Comments

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Taruga Tecnologia