Matérias

Como transformar o mal em bem e elevar a vibração por Liam de Melo

Como transformar o mal em bem e elevar a vibração por Liam de Melo

Finalmente o dia havia chegado! Depois de anos acordando cedo, estudando o que não gostava, lidando com responsabilidades, obrigações e certa pressão, o dia de tirar foto para o álbum de formatura havia chegado. Quase como um clichê hollywoodiano, o badboy da turma virou um balde de glitter sobre o garoto. Em poucos segundos, gordinho que era, ele parecia uma bola de árvore de natal. Faltavam poucos minutos até que o sinal batesse e todos se reunissem para as fotos, e era melhor ele fazer algo a respeito.

Esta historinha eu criei para ilustrar algumas situações do nosso cotidiano e, nos ajudar a entender o que acontece, às vezes, nas nossas vidas, pelos olhos de quem vê de fora. O gordinho tinha algumas opções: se vingar de quem fez isso; permanecer do mesmo jeito e levar bronca da professora; ou, dar um jeito e se preparar para a foto.

Olhando assim, de fora, soa meio óbvio o que ele deve fazer, né? Mas, quantas vezes, nas nossas vidas, a gente se pega culpando o outro, em vez de dando um jeito e resolvendo a situação? Às vezes, vingar-se do outro não é, exatamente, jogar glitter de volta, é dedurar o que ele fez aos professores, para que o outro seja culpado e punido. Nem a vingança nem o julgamento podem resolver a situação. É só se limpando que se resolve o problema.

Ninguém está dizendo que a culpa não foi do coleguinha, assim como, eventualmente, a culpa é sim do outro, mas e aí? Você culpa o outro e quê? Todos os problemas se resolvem? Você joga glitter no outro e os dois perdem a foto? O exemplo é muito bobo, mas pensa nisso: alguém bagunça e suja toda a sua casa, você está esperando uma visita; e aí: deixar suja ou limpar?

Às vezes, a culpa vai ser do outro sim, seja o outro uma pessoa, uma cultura, um sistema, uma lei, uma catástrofe… Mas e aí? Você vai culpar o outro e ficar assim mesmo, ou, vai dar um jeito e seguir em frente?

A culpa, o julgamento, o medo, a raiva e sentimentos assim vibram negatividade e atraem coisas ruins, atraem mais bagunceiros. A gratidão, a esperança e recomeços baseados em sentimentos assim são pura positividade, atraem coisas boas, atraem pessoas que nos ajudam!

No fim, o outro tem influência sobre nós, mas a decisão de ser influenciado ou não é sempre nossa. Decida com sabedoria! Não deixe o medo atacar sua vibração, ele é um lobo querendo devorar seu bebê. Proteja-o a qualquer custo! Mude os pensamentos e sentimentos medrosos sempre que eles aparecerem, até que seu bebê cresça e comece a gerar as próprias bênçãos.

 

Comentários do Facebook

comentários

Rádio Viva Zen

7.ago.2018

No Comments

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Taruga Tecnologia