Matérias

Como desintoxicar a casa naturalmente

Como desintoxicar a casa naturalmente

Ambientes internos, tanto de residências como de escritórios, podem se tornar verdadeiros acumuladores de intoxicação. O fato ocorre independentemente de ser em seu local de convívio com família ou de trabalho – qualquer um desses pode ficar sujeito à falta de iluminação solar e à ventilação natural adequada.

Não é de conhecimento geral, mas o processo de intoxicação desses ambientes internos ocorre por meio da inserção de objetos carregados de substâncias que fazem mal à saúde. Isso ocorre até mesmo por causa de itens de decoração e móveis. A madeira prensada, por exemplo, é banhada a formaldeído, que compromete a qualidade do ar.

A mesma realidade se aplica aos produtos de faxina. Ainda que tenham a função de limpar, suas composições têm como base muitas substâncias prejudiciais. Logo, a aplicação constante dos mesmos faz com que os ambientes internos fiquem carregados.

Felizmente, o processo de desintoxicação é deveras simples, podendo ser realizado por meio da disposição de plantas específicas nos ambientes internos intoxicados. A purificação e limpeza do ar ficam a cargo de diferentes tipos de plantas que se encontram disponíveis para aquisição em território brasileiro. Veja algumas delas:

  • Azaléia: De fácil cuidado e disponível em diferentes tamanhos.
  • Filodendro: Com o cuidado correto, pode viver por muitos anos.
  • Clorofito: Combate e previne o acúmulo de poluentes, assim como aqueles utilizados para preservar sofás e almofadas de couro.
  • Aloe vera: Suas folhas, quando adquirem tom marrom, indicam a presença de substâncias nocivas no ar.
  • Gerbera: Ideal para ambiente onde vivem ou circulam fumantes, visto que essa planta elimina resíduos provenientes do cigarro e do cachimbo.

O acúmulo excessivo de objetos também impede a circulação de ar, além de favorecer a junção de pó e mofo, os quais comprometem sua qualidade. Por isso, é necessário ficar atento aos itens que ficam espalhados que não possuem qualquer serventia ou que estão quebrados e não possuem conserto. Fique de olho em peças de roupa que não servem mais, mas que nunca são repassadas para doação, ou calçados desgastados e que não podem ser mais usados.

Nesse caso, a desintoxicação ocorre através da limpeza, organização e ganho de espaço. Algumas pessoas não consideram esse processo fácil, pois muitas vezes esses objetos possuem valor sentimental. Aqui, deve-se seguir um manual de ações, composto por passos que culminam na desintoxicação do ambiente interno em questão. Observe isso como é feito:

  1. Crie categorias para classificar os objetos. Sugere-se que o descarte se subclassifique entre lixo e doação. Se eventualmente aparecer algum item que vale ser mantido, o mesmo poderá ser colocado de volta apenas após o término no processo.
  2. Aplique critérios para determinar definitivamente o que será descartado ou não. Uma sugestão é aplicar a famosa “lei dos 6 meses” – se não usou nos últimos 6 meses, não será usado mais.
  3. Não enrole. O que for ser doado deve ser disposto em caixas ou sacolas e colocado diretamente no porta-malas do carro. Postergar a entrega da doação fará com que a mesma caia no esquecimento e o acúmulo voltará a acontecer.

Comentários do Facebook

comentários

Rádio Viva Zen

7.jun.2018

No Comments

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Taruga Tecnologia